Carregando...

Mix de Marketing: entenda como usar e ter sucesso na estratégia

Scroll Down

Alcance inteligência de vendas no Mix de Marketing com apoio do Big Data Analytics e leve o seu negócio para outro patamar.

 

 

O marketing é conhecido por sua capacidade de promover produtos e serviços e gerar demanda de compra nos consumidores, tanto no segmento B2C quanto no B2B. Por isso, é considerado fundamental em qualquer negócio.

A boa sintonia da área com a equipe de vendas faz ecoar os melhores atributos das empresas e se torna uma vantagem competitiva em todos os setores.

Impulsionado pelo avanço da tecnologia, hoje o marketing faz muito mais do que antes e consegue, por meio de soluções inteligentes, mensurar cada passo da estratégia adotada. 

O uso de Big Data Analytics, por exemplo, abre um leque enorme de oportunidades que, se bem exploradas, podem se transformar em resultados consistentes em frentes variadas.

Tais características extrapolam a essência do marketing tradicional e o torna componente decisivo para guiar decisões nas empresas.

É através do chamado marketing personalizado que as organizações realizam o raio x do posicionamento de mercado, mapeiam concorrentes, identificam potenciais clientes e auxiliam nos estudos para expansão das atividades.

Não é à toa que o papel do CMO (Chief Marketing Officer) está no centro da transformação digital e é cada vez mais multidisciplinar.

Neste texto, vamos explicar como funciona o Mix de Marketing, que pode aprimorar o desempenho do setor e contribuir para o crescimento dos negócios como um todo.

Conheça as vantagens do Marketing guiado por dados na sua empresa

Mix de Marketing: entenda como usar e ter sucesso na estratégia

O que é o Mix de Marketing

Mix de Marketing é um conjunto de atividades que compõem o planejamento e influenciam diretamente o desempenho da área.

Trata-se de um conceito criado em 1949 pelo acadêmico Neil Borden e que ainda se mostra relevante para nortear planos de ação.

Na prática, são os caminhos disponíveis para que a empresa consiga identificar os consumidores adequados, impactá-los e provocar a resposta esperada em relação a seus produtos.

Originalmente, há mais de 70 anos, o Mix de Marketing contemplava 12 componentes conforme explica o site Marketing Study Guide

São eles: planejamento de produto; preço; marca; canais de distribuição; venda pessoal; anúncio; promoções; embalagem; monitores para exibição das propagandas; manutenção; manuseio Físico; e apuração de fatos e análise.

Com o passar do tempo, o mercado resumiu os 12 componentes criados por Borden em alguns principais. Nascia, então, um dos conceitos mais famosos do Marketing, os 4Ps.

Composição do Mix de Marketing

Toda estratégia de divulgação de um produto ou serviço naturalmente aborda os componentes mencionados acima. 

Isso porque não é possível elaborar um planejamento de marketing sem definir questões centrais que determinam seu posicionamento no mercado.

4 P’s do Marketing

Da lista de elementos originais, como dissemos, 4 deles passaram a ser considerados os pontos-chave do Mix de Marketing: produto, preço, praça e promoção. 

Os 4 Ps Do Marketing Min 1024x344

1.Produto

Produto é tudo aquilo que é vendido, mas ele é só uma parte da estratégia. 

Seguindo os preceitos do Mix de Marketing, não basta definir o que será oferecido ao consumidor; é preciso validar sua relevância.

O produto só tem razão de existir se for capaz de resolver as “dores” de seu público-alvo. É o que o mercado classifica como “geração de valor”.

Portanto, antes de iniciar sua divulgação, é responsabilidade do marketing descobrir que problemas a solução resolve, como ela funciona na prática, e o que a diferencia das rivais.

2. Preço

Tão importante quanto o produto em si, o preço é fundamental para sua aceitação no mercado.

A precificação leva em conta duas variáveis principais: a definição do valor, que permitirá à empresa ter previsibilidade de receitas em relação ao produto, e também o entendimento de sua condição competitiva no setor de atuação. 

É importante que essa análise seja feita de maneira equilibrada, para que os aspectos sejam condizentes com os benefícios que a solução oferece. 

Devem ser considerados os custos de produção; o preço que os consumidores estão dispostos a pagar; e as eventuais influências externas que podem afetar a estratégia de precificação.

Isso não significa, porém, que o preço estabelecido precise ser baixo. O desafio é identificar o valor adequado para o produto de acordo com o público-alvo e seu valor agregado.

3. Praça 

Definir a praça significa definir como o cliente terá acesso ao produto. Ou seja, são os canais de distribuição que vão fazer a conexão da oferta com o público interessado por ela.

As pesquisas são muito úteis para guiar essa decisão. Por meio da análise de dados e inteligência geográfica, é possível identificar onde estão concentrados os potenciais clientes e também as pessoas que possam se interessar pelo produto.

É preciso, portanto, conhecer os hábitos do público-alvo. Faz parte desse processo descobrir se os potenciais clientes costumam fazer compras online ou presenciais, com que frequência, e qual o ticket médio da operação.

Tendo as informações em mãos, fica mais fácil escolher os canais mais adequados e acertar na estratégia comercial.

4. Promoção

O quarto pilar diz respeito ao plano de divulgação do produto ou serviço à venda e também da marca que está naturalmente atrelada.

Nesta fase, o gestor de marketing deve estabelecer os canais de comunicação apropriados e garantir que a mensagem alcance o público de maneira satisfatória.

Assim como a forma, o conteúdo também importa. A mensagem endereçada ao consumidor precisa ser bem-sucedida na missão de esclarecer a relação custo-benefício.

Algumas perguntas que devem ser respondidas são: em quais redes sociais devo anunciar? Com que frequência e em quais horários? E quais formatos utilizar?

Todas as ações de comunicação devem ser monitoradas de perto. A análise de dados é fundamental para apontar se o planejamento está obtendo o retorno esperado. Saiba como fazer a segmentação de clientes na prática.

Como surgiu o conceito de 4Ps do Marketing?

Foi na década de 1960 que o conceito dos 4Ps, oriundos dos 12 elementos do Mix de Marketing, ganhou força e se consolidou como o guia das estratégias de marketing.

Embora os 4Ps sejam comumente associados a Philip Kotler, eles têm a assinatura do professor Jerome McCarthy, que percebeu a importância das chamadas variáveis controláveis do Marketing.

Desde então, os 4Ps se tornaram a base de qualquer plano de ação do setor. Mais de 50 anos depois, eles passaram por uma série de revisões para se adaptar aos desafios do ambiente digital, mas continuam sendo a essência do marketing.

Qual a importância do Mix de Marketing na estratégia de uma empresa?

Qual A Importancia Do Mix De Marketing Na Estrategia De Uma Empresa Min 1024x685

O Mix de Marketing influencia diretamente a geração de negócios e ajuda a criar cases de sucesso. Os elementos disponíveis são os mesmos para todas as empresas, o que os diferencia é a forma como são utilizados.

Isso porque o Mix de Marketing vai além da simples aplicação dos 4Ps. Na realidade, ele fornece um caminho eficiente para a  construção de vínculos fortes com o público e também serve como indicador confiável do desempenho da área. 

Afinal, todo gestor de marketing precisa saber se os objetivos da empresa para cada linha de produtos estão sendo alcançados.

Por ser um conjunto de atividades, é imprescindível que o Mix seja considerado em sua totalidade, ou seja, que um elemento se conecte a outro dentro da estratégia.

Por exemplo, um produto direcionado ao público de alta renda precisa ter precificação condizente e requer uma comunicação que dialogue com as necessidades desse tipo de consumidor.

A evolução do Mix de Marketing: o que muda com os 7Ps do Marketing?

A Evolucao Do Mix De Marketing O Que Muda Com Os 7 Ps Do Marketing Min 1024x344

Como explicamos ao longo do texto, os 4Ps estabelecem o ponto de partida para as estratégias de marketing. Mas isso não significa que eles sejam suficientes para endereçar todas as necessidades da área.

Até porque muita coisa mudou desde que o conceito foi introduzido no mercado. Tanto que, 20 anos depois, na década de 1980, profissionais de marketing perceberam que era preciso ir além de produto, preço, praça e promoção.

Então, surgiram mais 3Ps para complementar o Mix de Marketing: pessoas, processos e prova física. 

Como explica a Hotmart, o objetivo era ampliar o foco, até então restrito apenas às decisões relacionadas ao produto comercializado.

A partir dessa percepção, novos elementos passaram a ser valorizados no processo de venda, como a experiência do consumidor e o posicionamento da marca.

Abaixo, vamos explicar detalhadamente o significado de cada desses 3 novos Ps:

5. Pessoas

Hoje em dia, é comum se deparar com o discurso de que as pessoas são os ativos mais importantes das empresas. Tal percepção começou a ganhar corpo com a consolidação do quinto pilar do Mix de Marketing: P de pessoas.

Na década de 1980, as organizações perceberam a necessidade de valorizar seu capital humano em todos os níveis hierárquicos, desde os profissionais atuantes na linha de frente até as lideranças.

As noções de gestão de pessoas, incorporadas naquela época, visavam oferecer treinamentos para dar uniformidade ao quadro de colaboradores e garantir alinhamento ao objetivo do negócio.

Assim, era possível estabelecer parâmetros de atendimento e produção conectados com a missão e os valores das empresas.

6. Processos

O sexto pilar da estratégia de marketing se resume à experiência de compra. Qual é a opinião dos clientes ao adquirir um produto ou serviço de determinada empresa? 

Seja ela positiva ou negativa, trata-se de um dos elementos que compõem o processo, que está presente em todas as fases de relacionamento com o consumidor.

Da mesma forma que uma loja física deve se preocupar com a qualidade do ambiente e com o atendimento rápido nos caixas, o e-commerce tem suas metas de usabilidade a cumprir quando o assunto é a satisfação do público.

Por isso, é fundamental que as empresas definam claramente os processos a serem seguidos e mantenham as equipes a par e devidamente treinadas.

7. Prova física

O ponto de venda pode ser um meio poderoso para conquista e fidelização de clientes.

A forma como o espaço físico é aproveitado pelas empresas consiste no sétimo e último pilar do marketing.

São considerados principalmente aspectos visuais que possam influenciar a experiência do usuário, como a decoração do local e a embalagem dos produtos.

No caso de lojas online, o conceito de prova física se aplica ao design da página e à facilidade com que o cliente navega dentro do site.

Principais exemplos de aplicação do Mix de Marketing

Principais Exemplos De Aplicacao Do Mix De Marketing Min 1024x407

A história do marketing é repleta de exemplos que mostram a importância da conexão entre os pilares mencionados acima.

Selecionamos alguns cases que evidenciam a força dos 7Ps para ressignificar negócios e mudar a percepção de valor de marcas:

Havaianas

A marca de sandálias de borracha mais famosa do Brasil passou por uma grande reformulação conceitual, conforme analisa a agência Neil Patel. 

Na década de 1980, a Havaianas era considerada um produto destinado ao público de baixa renda. Foi em 1994 que a empresa mudou o jogo, começando pelo produto, o primeiro P.

Ao lançar uma linha mais sofisticada de sandálias com o nome TOP, a empresa aumentou o preço do modelo e promoveu alterações em seus canais de distribuição. Como resultado, passou a atingir outros públicos e investiu na promoção adequada do produto.

Coca-Cola

Uma das marcas mais icônicas que existem, a Coca-Cola é um bom exemplo da sintonia fina entre os elementos do Mix de Marketing. 

O refrigerante, que tem sabor e aparência inconfundíveis, sofreu poucas variações em mais de 100 anos de história – uma delas foi a inclusão recente de versões menos calóricas para atender à crescente demanda por bem-estar.

A experiência permanece em constante transformação, com a diversificação de rótulos e a ampliação da oferta de produtos, com tamanhos variados. Mas, a essência se mantém.

O preço, por exemplo, faz com que o produto seja acessível e tenha ampla disponibilidade. É possível encontrar uma lata ou garrafa do refrigerante em qualquer canto do País.

Slack

Empresas que ainda estão em fase de consolidação do modelo de negócios costumam priorizar o produto acima de qualquer coisa. 

Foi assim com a Amazon, que concentrou seus primeiros anos em oferecer a melhor experiência possível antes de obter lucros. E foi assim também com o Slack, serviço de comunicação instantânea utilizado em muitas empresas.

Conforme explica o blog Alexa, o “prêmio” por oferecer um produto de boa qualidade para os usuários foi a promoção feita de maneira espontânea, na base do boca-a-boca, sem a necessidade de grandes investimentos em propaganda.

Tal estratégia permitiu que a empresa faturasse US$ 4 bilhões em seus primeiros 4 anos de operação. 

Quais são os melhores livros sobre os 4P’s?

Quais Sao Os Melhores Livros Sobre Os 4ps Min 1024x483

O professor americano Philip Kotler é a principal referência para estudos sobre os pilares do marketing. Ao longo de décadas, ele produziu obras literárias consistentes para o entendimento das teorias da área.

Entre seus livros mais importantes estão: 

Administração de Marketing

Considerada a “Bíblia do Marketing” por unir as perspectivas clássica e moderna sobre o mercado.

Os 10 pecados mortais do marketing

Trata-se de um guia prático com respostas para os fracassos de estratégias e campanhas, além de soluções para resolver “dores” comuns.

Marketing 4.0

Mais recente obra de uma série com quatro exemplares, o livro aborda a transformação dos conceitos de marketing tradicional para o marketing digital, com foco na conectividade e na complexidade atual da jornada do consumidor.

Além dos livros assinados por Kotler, há, também, leituras de obras importantes sobre o setor escritas por brasileiros. 

Destacam-se os seguintes livros: “Gestão do composto de marketing“, assinado por André Torres Urdan e Flávio Torres Urdan, e “Pesquisa de Marketing: Conceitos e Metodologia“, por Beatriz Santos Samara e José Carlos de Barros.

Como aplicar o Mix de Marketing na estratégia da sua empresa

Para que as ideias saiam do papel e se tornem realidade além dos 4Ps, é preciso definir pontos essenciais e comuns a qualquer planejamento.

A começar pela escolha do público-alvo, a partir da identificação das pessoas que serão impactadas pela promoção do produto ou serviço.

Neste momento, é importante investir em análise de dados para examinar adequadamente o setor de atuação em busca de perfis de clientes. 

A segmentação serve tanto para definir as características do público-alvo quanto para investigar os mercados potenciais.

Além disso, conforme ressalta a Rock Content, é essencial definir a vantagem competitiva da solução frente aos concorrentes, de forma que o cliente perceba o elemento de diferenciação na hora da compra.

Em seu livro sobre o tema, o professor da Harvard Business School Michael Porter analisa que a vantagem competitiva se dá por meio de três fatores: preço, experiência diferenciada para percepção de valor e foco em segmentos menores de mercado.

Como consequência, caberá à liderança do Marketing definir o posicionamento de mercado de acordo com os atributos de diferenciação da solução. 

Por exemplo, a oferta será reconhecida por seu pioneirismo, pelo custo-benefício, pela qualidade superior, entre outros.

Como a Neoway pode te auxiliar na aplicação do Mix de Marketing para ter sucesso 

Como A Neoway Pode Te Auxiliar Na Aplicacao Do Mix De Marketing Para Ter Sucesso Min 1024x685

A Neoway é líder em Big Data Analytics e Inteligência Artificial no mercado brasileiro e transforma dados em conhecimento para geração de negócios.

Na prática, a Neoway pode auxiliar na definição do mercado potencial a ser explorado, incluindo estimativas de receitas e, assim, tornar o planejamento de Marketing mais eficiente.

Por meio das soluções digitais inteligentes, é possível hipersegmentar o público-alvo e impactar leads qualificados no momento mais adequado da jornada do consumidor. 

E, com o apoio da Inteligência Artificial, as recomendações de onde e como alocar a verba se tornam ainda mais precisas. 

Quer saber como esse processo acontece na prática? Saiba mais

Entenda como fazer o Marketing personalizado e tenha vantagem competitiva 

Mix de Marketing: entenda como usar e ter sucesso na estratégia

Conclusão: Afinal, vale a pena usar o Mix de Marketing na sua empresa?

A resposta é sim. Como explicamos ao longo do texto, o Mix de Marketing é uma ferramenta necessária para nortear as estratégias a partir dos 4Ps: produto, preço, praça e promoção.

Cada empresa pode desenvolver a sua própria combinação dos elementos de acordo com as necessidades, mas eles precisam estar correlacionados.

E, independentemente do objetivo definido, as ações que dão vida ao Mix de Marketing não devem ser tomadas por meio de suposições. 

O bom desempenho de um produto no mercado está diretamente relacionado à qualidade das informações que as empresas coletam e analisam para definir seus planos de ação.

Entenda como usar a tecnologia da Neoway para evitar a dispersão de verba e acertar na segmentação de mercado.

Porque com as estratégias certas, fica mais fácil identificar e converter os clientes ideais.