Carregando...

Internet das Coisas (IoT): o que é e vantagens para o mercado

Scroll Down

Na era da Internet das Coisas (IoT), aparelhos conectados transformam o modo como lidamos com a internet, simplifica tarefas e abre oportunidades de mercado. Entenda!

Internet Das Coisas O Que E Vantagens Para Mercado 1024x683

Introdução

A indústria caminha para o que se chama de internet das coisas, conhecida também pela sigla IoT, que promete trazer novas oportunidades econômicas e revoluções em vários mercados.

Mas, inicialmente, a internet nasceu como uma forma de interligar computadores distantes para fins científicos e militares. O tempo fez com que ela passasse a entrar na casa das pessoas a partir da popularização dos PCs.

Aos poucos, a conectividade chegou aos celulares e permitiu o acesso à rede basicamente em qualquer lugar onde houver sinal de telefonia móvel.

Qual será o próximo passo agora? 

Entenda abaixo esse momento de transformação acelerada e como ele pode impactar a vida em sociedade e os negócios:

O que é IoT

A IoT é um estágio diferente da internet, no qual objetos de todos os tipos, que sequer têm interação direta com seres humanos, passam a estar conectados. Tudo se torna “smart”.

Equipamentos que até então funcionavam offline ganham sensores, modems e capacidades de software necessárias para se comunicarem com a rede.

A ideia da IoT é viabilizar novas formas de usar aparelhos que já faziam parte da vida, em ambientes como a indústria, no comércio e até mesmo para lazer ou para simplificar tarefas dentro de uma residência.

A ideia, apesar de não ser nova, tem se intensificado nos últimos anos, devido a uma nova onda tecnológica que viabiliza a inovação nesse sentido.

As redes 5G, por exemplo, são essenciais para facilitar a comunicação de objetos conectados com latência mínima e alta confiabilidade. Avanços em inteligência artificial e na miniaturização de chips e modems também abrem portas para a internet das coisas.

Surgimento da Internet das coisas (IoT)

Muito antes de computadores pessoais se popularizarem no mundo, estudiosos já projetavam uma realidade de dispositivos interconectados.

A primeira referência a uma proposta do tipo vem de 1982, quando pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, nos EUA, revelaram uma máquina de venda de refrigerantes que poderia fornecer atualizações sobre o estoque e a temperatura das bebidas.

Não demorou muito para que a expressão “internet das coisas” fosse cunhada. Isso aconteceu em 1985, também muito antes da popularização da internet comercial, em discurso do especialista em telecomunicações Peter T. Lewis.

Falando à Comissão de Comunicações Federal (FCC) dos Estados Unidos, ele definiu o conceito de IoT como “a integração de pessoas, processos e tecnologia com dispositivos conectados e sensores que permitem monitoramento remoto, status, manipulação e avaliação de tendências em tais dispositivos”.

Mesmo com mais de três décadas, o discurso ainda é bastante compatível com a ideia de internet das coisas que se tem atualmente.

Ao longo dos anos 1990, a proposta começou a ganhar mais fôlego com a apresentação de soluções de conectividade para objetos comuns, como câmeras e torradeiras conectadas, e a concretização de tendências.

Em 1999, Bill Joy, fundador da Sun Microsystems, definiu o conceito de Six Webs (seis redes), que incluíam diferentes formas de conectividade. Uma delas é batizada de D2D, que significa “dispositivo a dispositivo”, em que aparelhos se comunicam diretamente para aplicações como cidades inteligentes.

Apesar de o conceito ter evoluído ao longo de mais de três décadas, foi entre 2008 e 2009, segundo a Cisco, que a internet das coisas “nasceu”. O período marca o momento em que mais objetos passaram a estar conectados à rede do que pessoas no mundo.

Como funciona a IoT?

Como Funciona Iot 1024x683

A IoT é composta, em resumo, por objetos, que muitas vezes já fazem parte do cotidiano, com o diferencial de que eles podem ser conectados à web.

Esses produtos são equipados com chips que conferem a eles capacidades de processar informações e, mais importante, um modem que viabiliza a conectividade via Wi-Fi ou redes móveis. 

Na prática, os aparelhos se tornam computadores de todos os formatos possíveis, capazes de realizar tarefas que suas versões mais tradicionais e offline jamais poderiam.

Graças ao software, esses itens também estão habilitados a interagir uns com os outros, às vezes de forma autônoma, sem depender de interação humana.

Independentemente da escala, o processo é basicamente o mesmo. Os sensores incorporados a algum objeto coletam informações relevantes para uma ação. 

Esses dados são transmitidos online para um servidor em nuvem, onde eles são processados a fim de transformá-los em um comando.

Só então essa ordem é transformada em uma ação concreta, transmitida do servidor pela internet aos dispositivos que devem realizá-la.

Base de dados: saiba a importância de ter na sua empresa

Impacto da IoT para sociedade

Impacto Da Iot Para Sociedade 1024x683

A IoT está cada vez mais presente no mundo. Alguns de seus reflexos já podem ser sentidos em múltiplos setores da sociedade; outros serão mais notáveis ao longo dos próximos anos.

IoT na economia

Segundo a GSMA, grupo que representa operadoras de redes móveis do mundo inteiro, a internet das coisas representa uma grande oportunidade econômica.

Em pesquisa de mercado divulgada em 2020, a organização prevê que o mercado global de IoT valerá cerca de US$ 900 bilhões em 2025, o triplo do que era em 2019.

Em outro estudo, a GSMA aponta que a tecnologia tem o poder de dinamizar a economia com a ampliação da produtividade.

A associação nota que dispositivos conectados implementados na operação de uma empresa permitem colocar em prática melhorias em sua abordagem de produção.

A internet das coisas faz com que processos produtivos se tornem mais inteligentes e eficazes. Quando essa tendência em escala micro é replicada em uma economia inteira, há ganhos de produtividade e crescimento econômico.

IoT na indústria

A indústria pode ter grandes benefícios com os avanços em conectividade que propõe a internet das coisas.

Como explica a Intel, existem ganhos tanto em segurança quanto em produtividade na aplicação da IoT em uma fábrica.

Sensores podem indicar, por exemplo, quando uma máquina começar a se desgastar, o que facilita a manutenção preventiva e permite detectar anomalias antes que elas afetem o produto.

Trabalhadores também correm menos riscos. Dispositivos e acessórios vestíveis podem facilitar a detecção de riscos e evitar acidentes.

IoT na medicina

O impacto da IoT na saúde pode ser medido em múltiplos níveis. Pacientes, médicos e hospitais têm diferentes formas de obter benefícios com a tecnologia.

Para o paciente, a internet das coisas assume a forma de acessórios conectados, como pulseiras, que podem coletar dados preciosos para um tratamento mais personalizado e eficaz e permitir um atendimento mais ágil em emergências.

Isso porque os dispositivos podem perceber que algo está errado e acionar uma ambulância mesmo que o usuário esteja inconsciente.

Já o médico tem o seu trabalho facilitado por estes acessórios, que produzem um grande volume de informações e viabilizam diagnósticos mais precisos.

Para os hospitais, há uma gama maior de vantagens, que podem incluir a gestão de equipamentos e inventário e gerenciamento das equipes, controle de temperatura e umidade, conforme explica a Wipro.

Até mesmo operadoras de planos de saúde podem ser impactadas pela internet das coisas. Os acessórios permitem monitorar a situação dos clientes e avaliar riscos. Para isso, no entanto, as empresas precisam desenvolver formas de incentivar o uso dos dispositivos com potenciais descontos e vantagens. 

IoT na segurança

Esse novo momento da internet pode trazer melhorias para sistemas de segurança por meio de uma série de aparelhos conectados.

As câmeras de segurança estão na categoria de acessórios com acesso à rede que mais se popularizaram. Elas permitem monitoramento remoto, e a integração a sistemas de inteligência artificial possibilita detectar ameaças e reduzir alarmes falsos, como um cachorro no campo de visão.

Alarmes e sensores interligados também facilitam a geração de alertas de algo fora do padrão.

A IoT também pode ser uma aliada na segurança pública. Nesse sentido, uma das soluções propostas é a iluminação inteligente.

A ideia vai além de uma lâmpada que pode ajustar o brilho de acordo com a demanda; o equipamento conteria câmeras e microfones que podem detectar situações como tiros de armas de fogo e alertar a polícia.

Também é possível reconhecer o som de vidro quebrando, que pode indicar a invasão de um domicílio, e ajustar a luz para um tom vermelho que chamaria a atenção para os criminosos.

Segurança da informação: O que é, e seus impactos e soluções nas empresas

IoT na educação

O ensino é outro setor que pode se beneficiar com a internet das coisas, embora não seja uma das áreas de maior prevalência da tecnologia.

Sistemas aplicados à educação têm a capacidade de engajar estudantes e produzir melhores resultados de aprendizado.

As soluções para o setor são várias e incluem acessórios como canetas conectadas, que imediatamente transformam o conteúdo escrito em papel em uma imagem sincronizada com a nuvem, de onde pode ser facilmente acessada pelo celular.

A tecnologia também permite monitorar elementos como frequência e desempenho de alunos, com a possibilidade de criar diferentes métodos de ensino dependendo do aluno ou do perfil da turma.

IoT no cotidiano

Nem todas as aplicações de internet das coisas parecem tão próximas, mas muitas delas já fazem parte do dia a dia.

A casa conectada, por exemplo, é uma realidade. Eletrodomésticos com Wi-Fi já estão amplamente disponíveis no mercado e possibilitam uma série de facilidades, como uma cafeteira que inicia o preparo do café automaticamente quando o usuário acorda.

Uma geladeira inteligente pode detectar que algum item está acabando e enviar um alerta para o celular; também pode contar com uma câmera que permita olhar o seu interior remotamente, sem precisar abrir a porta e gastar energia desnecessariamente.

Uma máquina de lavar conectada pode ser ativada enquanto o usuário ainda está na rua. Assim, as roupas estarão prontas quando ele chegar em casa.

As assistentes virtuais também chegam para facilitar ainda mais esse processo, oferecendo o controle de todo tipo de dispositivo apenas com comandos de voz.

Conheça 5 exemplos de tecnologias de IoT

Conheca 5 Exemplos De Tecnologias De Iot 1024x841

Como mostramos acima, a internet das coisas, apesar de agrupar ideias com ar futurista, já tem aplicações concretas. Conheça algumas aplicações que estão em uso:

Automação no varejo

O varejo conta com casos de uso de internet das coisas que afetam toda a cadeia de vendas, desde a logística de transporte de mercadorias até a experiência do cliente na loja.

Como informa a Sas, o IoT permite realizar o gerenciamento inteligente do inventário e entender a movimentação do consumidor dentro do estabelecimento. Tal ação produz insights para um atendimento personalizado a partir dos interesses de cada cliente.

Maquininha de cartão

Onipresentes na vida do brasileiro, as máquinas de pagamento em ponto de venda são um exemplo de sucesso da internet das coisas.

Conectadas, elas proporcionam melhores experiências de pagamento que reduzem barreiras e facilitam a negociação e são cada vez mais versáteis, com suporte a tecnologias como NFC e QR Code.

Aplicativos de segurança

Por meio de apps, é possível monitorar remotamente o que acontece em uma residência, por exemplo, devido a câmeras conectadas à internet.

Outras soluções de segurança são viabilizadas pela IoT, incluindo sensores, alarmes e produtos que podem produzir alertas remotos. 

Smart Cities

A progressão das cidades inteligentes é uma das metas da indústria de tecnologia. A ideia é incluir um chip em todo tipo de equipamento cotidiano para permitir planejar melhor o funcionamento da cidade.

Soluções para cidades inteligentes podem incluir semáforos conectados que ajustam seus tempos de acordo com o tráfego e a segurança, gestão de vagas de estacionamento, iluminação pública adaptável e monitoramento de poluição.

Até mesmo latas de lixo conectadas podem ter seu espaço em uma cidade inteligente. A proposta permite planejar a coleta de forma mais eficiente, sem desperdiçar tempo para esvaziar o que ainda está vazio.

Carros inteligentes

A internet é cada vez mais presente em automóveis e tem ampliado consideravelmente as possibilidades dentro dos veículos.

As aplicações de conectividade aprimoram sistemas de navegação e entretenimento de bordo e levam, em última instância, aos veículos autônomos.

Nesse cenário, os carros poderão se comunicar entre si de forma independente para permitir a circulação segura pela cidade e reduzir acidentes ao reduzir ao mínimo necessário a interação humana com o automóvel.

Com a tecnologia, também é possível monitorar a ‘saúde’ do veículo sem precisar abrir o capô, já que os dados produzidos por ele podem ser facilmente acessíveis em um app.

 Data driven: O que é, quais as vantagens e como as empresas aplicam

Desafios e futuro da IoT

Desafios Futuro Da Iot 1024x683

O que há pelo caminho para a IoT? A indústria de tecnologia tem avançado a passos largos para viabilizar novas aplicações. Conheça as tendências:

Tecnologias que auxiliam no avanço da IoT

Sensores são a alma da IoT, mas eles precisam se integrar de forma pouco intrusiva aos objetos do cotidiano. Felizmente, a miniaturização tem progredido para viabilizar isso.

Com chips cada vez menores, que consomem menos energia e que são mais baratos, as possibilidades aumentam de forma exponencial.

Conectividade

Um dos grandes saltos da internet das coisas está diretamente interligado à implementação das redes 5G.

A nova geração de telefonia móvel permitirá transmitir dados com latência mínima e alta velocidade. Essas capacidades serão fundamentais para aplicações que exigem precisão e confiabilidade por parte da indústria e dos veículos autônomos.

Big Data Analytics e Machine Learning

A revolução da internet das coisas está intimamente ligada à análise de dados. Produtos conectados produzem um volume gigantesco de informações que podem gerar insights valiosos.

A utilização de soluções de análise de dados possibilita interpretar melhor essas informações e tornar os dispositivos mais inteligentes e úteis.

O aprendizado de máquina, um dos pilares da inteligência artificial, também se beneficia dessa ampla quantidade de informações produzidas para alimentar algoritmos a fim de  cumprir todos os tipos de funções.

Inteligência artificial

São duas tecnologias que se retroalimentam. Os dados produzidos pela IoT permitem o funcionamento dos algoritmos, e, com isso, a aplicação de inteligência artificial para realizar as tarefas.

Da mesma forma, a inteligência artificial é importante para os dispositivos IoT para que os dados sejam analisados a fim de produzir resultados sem a dependência de trabalho humano para obter insights imediatos e automáticos.

O resultado disso são soluções como Alexa e Google Assistente, já presentes no cotidiano de tantas pessoas.

Quais as vantagens da IoT para o mercado?

No fundo, a internet das coisas tem um propósito principal: o ganho de eficiência. A automação e o melhor aproveitamento de dados são algumas das formas pelas quais esse objetivo se manifesta.

Aplicações da IoT têm como vantagem clara as reduções de custo e de tempo de inatividade que nascem a partir da possibilidade de planejar melhor o uso de recursos.

Da mesma forma, as soluções também podem ajudar a reduzir o desperdício ao facilitar a identificação de potenciais gargalos dentro de uma cadeia de suprimentos.

Com acesso a novas fontes de dados, especialistas trabalham em modelos de negócios inovadores que se integram para aprimorar a experiência do cliente.

Como a IoT pode ajudar o seu negócio a ser mais eficiente

Como Iot Pode Ajudar Seu Negocio A Ser Mais Eficiente 1024x683

Conforme a tecnologia se torna mais difundida, cresce o número de empresas que percebem a IoT como diferencial.

Na prática, as soluções para internet das coisas podem trazer mais dinamismo e eficiência para um negócio.

Como descreve a Oracle, a tecnologia gera insights baseados em dados produzidos pelos dispositivos conectados e melhoram as atividades das empresas.

Igualmente, as aplicações de IoT também podem trazer mais produtividade e resultados melhores em operações comerciais.

As soluções ainda proporcionam novas oportunidades para criação de modelos inovadores de negócios que se traduzem em novos fluxos de receita.

Por fim, os sistemas ainda criam uma conexão simples entre o físico e o digital, que gera valor para um negócio rapidamente.

Conclusão

A internet das coisas é uma daquelas tendências irreversíveis do mercado de tecnologia. Como visto, a proposta está longe de ser nova, e sua origem remonta a décadas atrás.

No entanto, saltos dados nos últimos anos proporcionam uma nova fase de aceleração para a IoT. Chips e sensores estão menores, as redes móveis estão mais capazes do que nunca e a inteligência artificial só ganha força.

Todo esse cenário aponta para um momento em que dispositivos conectados se tornarão ainda mais relevantes em uma sociedade que já é movida a dados.

Fica a cargo das empresas entenderem esse momento de transformação digital para que possam criar os melhores caminhos para seus negócios. 

Nesse cenário ultraconectado, é imprescindível estar alinhado com tecnologias avançadas e utilizar a análise de dados para a tomada de decisões. Para saber mais sobre Big Data Analytics e Inteligência Artificial, conheça as soluções da Neoway.

Por fim, as aplicações relacionadas à IoT podem se tornar um diferencial forte no mercado com a viabilização de produtos e experiências inovadoras. Isso traz mais eficiência para alocar recursos de forma inteligente e reduzir desperdício de tempo, dinheiro e energia.

Colunista
Neoway
A Neoway é a maior empresa da América Latina de Big Data e Inteligência Artificial para negócios. Desde 2002, desenvolvemos soluções que dão produtividade e precisão para marketing, vendas, compliance, jurídico, crédito e fraude em setores como finanças, tecnologia, seguros, bens de consumo e saúde. Nossos redatores escrevem sobre tecnologia, negócios e suas intersecções.
Veja todos os artigos do colunista