Carregando...

Direito 4.0: O que é, desafios e como se preparar

Scroll Down

O Direito 4.0 não é uma só tecnologia: é uma onda de inovação tecnológica que chega para reinventar digitalmente a atividade jurídica.

A atividade jurídica é uma pedra fundamental da sociedade. Sua origem remonta ao período da Antiguidade, e sempre foi uma parte crucial da vida humana ao garantir o cumprimento de regras básicas de convivência.

Apesar de ser uma carreira tão tradicional, ela não está imune aos avanços tecnológicos. O progresso em várias áreas da tecnologia tem provocado a transformação da atividade jurídica. Trata-se do chamado Direito 4.0.

O Direito 4.0 prevê a adesão a uma série de plataformas e soluções que, aos poucos, tomam conta de outros setores da economia também.

Termos como inteligência artificial e blockchain, por exemplo, que antes eram restritos a círculos de entusiastas de tecnologia, já se integraram à realidade das pessoas.

Nesse cenário, surgem as empresas especializadas em atuar especificamente na intersecção entre direito e tecnologia. São as “lawtechs”, ou “legaltechs”, que se propõem a oferecer soluções digitais para a área jurídica.

A tendência desse mercado é de aceleração absoluta. Segundo a consultoria Gartner, a expectativa é de que o orçamento para tecnologia aplicada para fins legais seja triplicado até 2025.

Parece ser um consenso entre as consultorias. Outra análise, produzida pela empresa de pesquisa de mercado alemã Statista, estima que as receitas do mercado de lawtechs devem crescer rapidamente até 2025. 

Se em 2019 o faturamento total do mercado foi de US$ 17,32 bilhões, a projeção é de que esse valor aumente em mais de 45% e chegue a US$ 25,17 bilhões até a metade da década.

Neste conteúdo, vamos contextualizar tendências e desafios e oferecer uma espécie de guia para auxiliar escritórios e departamentos jurídicos a se prepararem para tirar proveito desse mercado em potencial. 

Entenda como a transformação jurídica foi impulsionada pela Covid-19

General 1024x299

O que é o Direito 4.0?

O Direito passa por uma profunda transformação provocada pela tecnologia, mais especificamente pela inteligência artificial e pela análise de dados. Na esteira desse movimento, cunhou-se o termo Direito 4.0.

Trata-se da união entre dois mundos aparentemente desconexos e que já começa a mudar o modus operandi da área.

O Direito 4.0 não é uma só tecnologia: é uma onda de inovação tecnológica que chega para reinventar digitalmente a atividade jurídica.

Essa transformação leva à prestação de serviços melhores e mais eficientes para o aumento da satisfação dos clientes e eliminação de burocracias, além da geração de economia de custos.

Portanto, o investimento em tecnologia na aplicação do direito traz vantagens competitivas e aprimora as chances de sucesso de uma empresa ou escritório de advocacia.

A evolução do Direito: Panorama Geral

Mas por que esta nova etapa do direito se chama “4.0”? Como explica o Promad, é uma nova fase que já sucede pelo menos outras três.

A mais antiga delas, a 1.0, era analógica. O processo todo era conduzido por equipamentos como máquinas de escrever, com grande gasto de tempo para realizar tarefas simples como a redação de uma petição.

Na fase seguinte, a tecnologia passou a fazer parte da rotina do setor. Foi quando apareceram ferramentas tão fundamentais como as planilhas e editores de texto, que permitiram digitalizar e agilizar as tarefas que até então eram manuais.

A automação só entrou em cena na etapa 3.0, a partir do surgimento de softwares e aplicativos jurídicos. Nesse período, também houve o aparecimento dos processos eletrônicos e dos certificados digitais. 

O Direito 4.0 atualiza os avanços tecnológicos vistos previamente, mas com um passo de aceleração exponencial. 

Por meio da adição de ferramentas que permitem analisar grande quantidades de dados, é possível se basear em algoritmos para tomar decisões melhores para a empresa e para os clientes.

As principais mudanças do Direito 4.0 

O melhor aproveitamento do vasto volume de dados produzidos ao longo de vários anos é uma peça-chave da transformação tecnológica vista no setor nos últimos tempos.

Na prática, o Direito 4.0 pode automatizar uma série de funções em um escritório que antes só poderiam ser realizadas por amplo e custoso trabalho braçal.

As soluções digitais são capazes de realizar uma varredura ampla em processos jurídicos. E, por meio de análise inteligente de dados, milhares de peças são avaliadas e permitem aos profissionais tomarem melhores decisões.

As ferramentas tecnológicas também podem ajudar a solucionar conflitos de forma mais ágil e econômica para a organização.

No atendimento ao público, o uso dos chatbots traz, ainda, mais facilidade na interação com clientes potenciais.

Em meio a tantas mudanças, como pode-se perceber, o papel do advogado mudou, mas não passou a ser irrelevante. Muito pelo contrário: ele ainda é decisivo no sentido de definir os melhores procedimentos tendo o suporte tecnológico para guiar suas ações.

Quais as vantagens do Direito 4.0?

A transição da atividade para uma nova forma mais tecnológica proporciona não apenas apoio na operação do cotidiano, mas também abre a possibilidade de uma nova forma de pensar o exercício da função, como explica a Faria & Silva Advogados.

Além dos casos de uso mencionados anteriormente, o Direito 4.0 promove facilidades que ajudam a gestão dos negócios como um todo.

A capacidade de análise de grandes volumes de dados gera insights que permitem o melhor andamento dos negócios a partir de processos mais eficientes.

Há ganhos também para as atividades internas, com a possibilidade de gerir com mais qualidade o departamento jurídico e organizar as tarefas de cada dia. O tempo economizado significa maior liberdade para planejamento estratégico.

Além disso, as vantagens significativas do avanço tecnológico para o setor vão além do escopo tradicional de atividades.

Graças à popularização do acesso a novas ferramentas, passa a ser possível utilizar soluções online para resolução de conflitos, uma alternativa ao sobrecarregado sistema judiciário brasileiro.

Desafios e impactos no setor Jurídico: como se preparar para o Direito 4.0?

Imagem02 Desafios Impactos Setor Juridico Direito 4 1024x675

A adaptação ao Direito 4.0 pode ser crucial para o crescimento de uma empresa, mas não é algo tão simples para qualquer companhia.

Primeiro, existe o desafio do investimento inicial. Para que a implementação de novas tecnologias reflita a redução de custos, é preciso investir tempo e recursos para promover as alterações necessárias.

A questão vai além da técnica, no entanto. O direito é uma atividade que vem do século 19 e, dependendo dos profissionais, o apoio tecnológico pode ser rejeitado por quem ainda tem uma visão tradicionalista da área.

Abaixo, recomendamos dicas para que os profissionais da área consigam se adaptar a essa nova fase da atividade.

Acompanhe as atualizações

A adoção do Direito 4.0 depende da adoção de uma nova visão de mercado. A tecnologia avança rapidamente, e quem está disposto a adotá-la também precisa estar disposto a se atualizar regularmente para não ficar defasado.

Aprenda a ter uma comunicação ágil

A comunicação é parte crucial para qualquer empresa. A utilização da tecnologia oferece mais eficiência no dia a dia, por outro lado exige a minimização de gargalos que podem limitar a capacidade das plataformas.

Tenha visão estratégica

A visão estratégica permite planejar melhor a utilização dos recursos disponíveis para uma empresa. 

É ela que permitirá entender qual caminho seguir para adoção de tecnologia a fim de agilizar questões jurídicas e quais gargalos precisam ser resolvidos dentro de uma companhia.

Busque capacitação contínua

A capacitação contínua é uma necessidade em um ambiente que depende de tecnologia. É preciso estar preparado para se adaptar às novas possibilidades e exigências.

Plataformas tecnológicas ganham novos recursos a todo momento, e a inovação constantemente abre possibilidades que podem trazer vantagens para uma empresa.

Aprenda a usar a tecnologia ao seu favor

O investimento na tecnologia aprimora uma organização em várias frentes, mas é necessário saber utilizá-la adequadamente para tirar proveito dessas vantagens.

Para isso, é importante ter em mente que tipos de problemas as soluções digitais podem resolver, ou então quais processos falhos podem ser melhorados.

Dessa forma, será possível adequar o funcionamento da empresa em favor das novas possibilidades e obter o resultado esperado.

Principais profissões jurídicas-tecnológicas no Direito 4.0

Imagem03 Principais Profissoes Juridicas Tecnologicas 1024x675

Como vimos, a profissão do advogado não será extinta, e seguirá indispensável para a atividade jurídica, mesmo diante da transformação tecnológica. 

No entanto, o setor como um todo passará por uma revolução, que já está em andamento, e testemunhará o surgimento de novas profissões que terão mais espaço nos escritórios e departamentos jurídicos.

Marcílio Guedes Drummond, sócio do escritório Marcelo Tostes Advogados, cita o aparecimento de algumas carreiras jurídico-tecnológicas que estão diretamente ligadas ao Direito 4.0:

Head de inovação em escritório de tecnologia

Responsável por trazer a cultura de inovação e tecnologia e novos modelos de trabalho para dentro dos escritórios de advocacia, sempre atento às novas tendências.

Empreendedor em Lawtechs/Legaltechs

Com a intersecção do direito e a tecnologia, cresce o número de empreendedores que buscam oferecer melhores soluções digitais para o setor.

Desenvolvedor de negócios em lawtechs

Esta profissão, que depende de visão empreendedora, visa envolver o mapeamento e gestão do relacionamento com clientes, mas com a mediação tecnológica, por meio de análise de dados e inteligência artificial para basear suas ações.

Gerente de privacidade

Pelo mundo, novas regras relacionadas à privacidade tornam necessária a presença de especialistas nas empresas. Com a GDPR, na Europa, e a LGPD no Brasil, aumentou a relevância de profissionais aptos a cuidar da proteção de dados como parte fundamental de qualquer atividade. 

Operações jurídicas

Esta função busca apoiar departamentos na criação da infraestrutura técnica necessária para administrar melhor o setor.

Arquiteto de soluções jurídicas

Sua função dentro de uma empresa é entender processos e dados relativos às “dores” dos clientes e elaborar soluções adequadas baseadas nessas informações.

Engenheiro jurídico

Uma “fusão” do advogado com o desenvolvedor de software, capaz de apresentar ao computador regras, princípios e soluções lógicas para o desenvolvimento de sistemas jurídicos especializados ao cliente.

Analista de dados

Uma das funções mais importantes da nova era da tecnologia, passa a ter uma posição estratégica dentro da atividade jurídica. Ele é o responsável pelo uso adequado dos dados em sistemas eletrônicos e pela interpretação dos dados para prever resultados.

Profissional de segurança cibernética

O investimento em segurança digital é fundamental para qualquer empresa e se amplifica quando a companhia começa a trabalhar com um volume maior de dados de clientes.

Cabe a esse colaborador identificar vulnerabilidades e garantir a implementação de soluções de segurança em produtos de uma empresa.

Compliance Pro

Atividade que une o setor de compliance de uma empresa com a tecnologia a partir de softwares para sustentar o monitoramento de stakeholders.  Assim, busca garantir conformidade com as regras da empresa.

Gerente de conhecimento

Sua função é desenvolver bancos de dados internos, kits de ferramentas e outros recursos para agilizar o acesso a informações relevantes.

Gerente de risco

O trabalho deste profissional dentro das empresas de advocacia é, como o nome sugere, avaliar riscos ligados à privacidade de dados. É um trabalho decisivo frente ao panorama atual do cibercrime.

Profissional de apoio a litígios

O profissional pode lidar com o grande volume de dados produzidos pelo contencioso em larga escala, com a execução de bancos de dados para obtenção de informações.

Como o profissional do setor jurídico pode ter vantagem competitiva no Direito 4.0?

Na base da transformação do Direito 4.0 está uma melhor utilização dos dados de várias fontes, disponíveis para coleta e estudo aprofundado.

A inteligência artificial visa replicar o sistema de pensamento humano para permitir a análise em grande escala, automatizar processos e torná-los mais ágeis. O atendimento por chatbots é um exemplo.

Já o machine learning, ou aprendizado de máquina, é uma área específica dentro da IA com seus próprios benefícios. A tecnologia permite que um algoritmo “aprenda” a tomar decisões com base no consumo de múltiplos bancos de dados.

Tecnologias como o blockchain também chegam para mudar o cenário da atividade jurídica. O sistema é normalmente associado a criptomoedas como a bitcoin, porém é muito mais versátil do que isso.

Uma das tecnologias diretamente associadas ao blockchain são os contratos inteligentes. 

A partir de seu sistema de validação inviolável, é possível criar os gatilhos para que uma ação seja executada automaticamente quando certas condições pré-determinadas forem cumpridas.

A aplicação dos chatbots também elimina gargalos na comunicação com clientes. Alguns dos sistemas de atendimento mais avançados são profundamente humanizados, e quem ganha com isso é a comunicação.

Dessa forma, escritórios de advocacia e departamentos jurídicos devem atentar aos seguintes movimentos para se adaptar ao Direito 4.0.

Invista em Soluções Digitais

Como pontuamos ao longo do texto, o investimento em soluções digitais é o caminho para dinamizar os processos e obter uma série de vantagens ante o mercado.

Jurisprudência

Um dos principais benefícios do uso de tecnologia no ambiente jurídico é a capacidade de consultar a jurisprudência sobre determinado processo, conforme explicamos neste post no blog da Neoway. 

Isso porque a análise de processos pode ser uma tarefa complexa. Os documentos não são necessariamente padronizados, e eles existem em volumes imensos, o que torna pouco prático o consumo do material.

Nesse ponto, a tecnologia é uma grande aliada. O Big Data Analytics permite utilizar esse volume gigantesco de informações a favor da atividade jurídica de uma forma que seria inviável para qualquer pessoa comum.

É o que se chama de jurimetria, com a aplicação de ciência de dados e estatística para ganhar um panorama muito mais amplo da probabilidade de êxito diante de um processo, além de indicar a melhor via de ação.   

Assim, os juristas podem ampliar seus conhecimentos sobre uma determinada demanda e obter visão estratégica de um caso.

Também é possível identificar qual argumentação jurídica pode ter mais sucesso entre os julgadores após análises de como a questão foi abordada no passado.

A análise de dados também possibilita a compreensão dos padrões do juiz para definir se o melhor caminho para um processo é buscar um acordo em vez de levar o caso a julgamento.

Como a Neoway pode ajudar os profissionais de Direito

A Neoway é líder no mercado brasileiro em soluções de Big Data Analytics e Inteligência Artificial para negócios em setores variados, incluindo a atividade jurídica. 

Abaixo estão alguns dos produtos que podem ajudar na gestão da atividade jurídica e tornar os processos do setor mais eficientes.

Neoway Lawsuits 

A plataforma da Neoway disponibiliza  dados  de mais de 360 milhões de processos judiciais e extrajudiciais que são apresentados de forma padronizada, o que facilita o acesso a informações necessárias para um documento.

A utilização do sistema traz uma série de ganhos para o departamento jurídico de uma empresa.

Graças ao volume de dados disponíveis na plataforma, é possível ganhar agilidade em processos de diligência, otimizar a identificação de fraudes, além de oferecer embasamento para decisões jurídicas.

Consequentemente, o processo de contratação de um novo fornecedor ou de onboarding de parceiros e clientes se torna mais seguro. É possível descobrir, em questão de segundos, em quais processos as partes estão envolvidas.

A Neoway também oferece APIs que permitem unir o Lawsuits a outros softwares jurídicos que já estejam em uso dentro de uma companhia.

Neoway Legal

A solução disponibiliza o banco de dados mais amplo do mercado e fornece análises produzidas por inteligência artificial. Por meio do uso de algoritmos, é possível analisar um vasto volume de processos para identificar tendências de riscos ou êxito.

O sistema é capaz de apresentar essas informações de forma clara, com gráficos e painéis que mostram um panorama das ações relacionadas à empresa.

A plataforma conta com três módulos para apoiar o departamento jurídico.

O primeiro deles, chamado Metrics, permite dimensionar os processos relacionados à empresa, com uma análise de probabilidade de sucesso ou êxito.

Já no Risk, a plataforma traz informações sobre potenciais riscos processuais, identificando indícios de condutas suspeitas.

Por fim, o Benchmarking mostra uma lista de processos na área de atuação específica da companhia, para produzir um cenário claro do andamento de ações no mercado, demonstrando, por exemplo, médias de acordos e condenações.

Conheça os maiores desafios do departamento jurídico e como a tecnologia pode resolvê-los

Direito 4.0: O que é, desafios e como se preparar

Conclusão

Imagem04 Conclusao Direito 4 1024x529

Estudos do Gartner e da Statista, mencionados no início do texto, comprovam que a intersecção entre direito e tecnologia tende a crescer de forma acelerada ao longo dos próximos anos.

A tecnologia avança rapidamente para transformar a atividade jurídica, e a melhor forma de não ficar para trás é abraçá-la como um diferencial competitivo.

As vantagens oferecidas pela aplicação do Direito 4.0 no cotidiano dos escritórios permitem alcançar melhores resultados e poupar recursos financeiros e humanos para investi-los de forma estratégica.

Ou seja, o uso da tecnologia gera eficiência operacional na prática ao dinamizar as tarefas repetitivas e burocráticas.

Com isso, os processos são modernizados, e os resultados tendem a ser mais sólidos. Assim, as organizações podem direcionar o seu recurso mais importante, o humano, para tarefas mais relevantes e estratégicas.

Ainda tem dúvidas sobre a relevância do tema para o setor? Entenda por que investir em tecnologia jurídica.

A Neoway possui ferramentas intuitivas que tornam a adoção das novas tecnologias uma tarefa mais fácil e prática. Quer saber como podemos ajudar você e sua empresa a se adaptarem nesse novo cenário? Fale com um de nossos especialistas!

Colunista
Neoway
A Neoway é a maior empresa da América Latina de Big Data e Inteligência Artificial para negócios. Desde 2002, desenvolvemos soluções que dão produtividade e precisão para marketing, vendas, compliance, jurídico, crédito e fraude em setores como finanças, tecnologia, seguros, bens de consumo e saúde. Nossos redatores escrevem sobre tecnologia, negócios e suas intersecções.
Veja todos os artigos do colunista