Carregando...

Neoway API: sem limites para a integração de dados

Scroll Down

Veja o que é uma API, qual sua função, importância, exemplos de uso e saiba como a Neoway API pode ajudar o seu negócio a ganhar vantagem competitiva.

A cada dia que passa nos deparamos com grandes quantidades de informação, tecnologias, inovações, dispositivos e servidores com os quais precisamos nos adaptar e inserir em nossas rotinas.

Mas, como fazer com que todos se conversem de forma simples e prática? Existe alguma maneira de conectar sistemas e garantir que se comuniquem entre si? É o caso das APIs, tema que abordaremos ao longo deste post, bem como sua função, importância e casos de uso.

O que é API

o que e API

Ao pé da letra, a sigla API refere-se ao termo em inglês “Application Programming Interface”, que, na tradução para o português, significa “Interface de Programação de Aplicativos”. Mas, o que isso quer dizer na prática?

De forma simples, as APIs são como um tipo de “ponte”, responsáveis por integrar sistemas e conectar aplicações, podendo ser utilizadas nos mais diferentes negócios.

A partir delas, é possível automatizar diversas atividades rotineiras, o que garante otimização de tempo, recursos e esforços às empresas.

Muitas pessoas têm dificuldade em entender o conceito de API, pois ela é invisível ao usuário comum. Não conseguimos enxergar a “ponte” de fato no nosso dia a dia. Nós só visualizamos a interface dos softwares e aplicativos que ela conecta, como Facebook, Google Maps, entre outros.

Por isso, vamos pensar em uma analogia simples, utilizando o exemplo de um restaurante, onde o garçom serve como interface entre um cliente e a cozinha.

Ao entrar no restaurante, um consumidor (imaginemos aqui um site ou mobile) analisa o cardápio, decide o prato que vai comer e, então, faz o seu pedido ao garçom (API). Em seguida, esse mesmo garçom vai até a cozinha (servidor) solicitar o pedido. Quando o prato fica pronto, ele leva ao cliente.

A entrega do prato (resposta da API) depende do gerenciamento da comunicação do pedido, estrutura da cozinha, agilidade dos cozinheiros. É assim que funciona com as APIs também.

No entanto, enquanto a comunicação com um ser humano (o garçom, no exemplo acima) acontece por meio de uma linguagem verbal, no caso de uma API, envolve o trabalho de profissionais de programação, por meio de códigos, definição de regras e instruções.

Resumidamente, por meio das APIs, é possível que aplicativos conversem uns com os outros sem o conhecimento ou intervenção de outros usuários. E o mais importante, essa comunicação garante segurança dos dados, facilidade no intercâmbio entre informações com diferentes linguagens de programação e redução de falhas no processo.

Quais os tipos mais comuns de API?

Basicamente, existem dois tipos principais de API. São elas:

APIs públicas

São disponibilizadas ao público junto a sua documentação e sem processos complexos de validação de identidade de seus clientes, podendo ser acessadas por meio de um cadastro, por exemplo. É o caso das APIs utilizadas em redes sociais, de forma gratuita.

APIs privadas

São aquelas que oferecem maior restrição sobre seus acessos e dados disponíveis, podendo ser monetizadas para clientes.

Elas também podem ser utilizadas para otimizar processos internos. Nesse caso, as informações são acessadas somente por pessoas autorizadas, por meio de login e senha. Os principais exemplos são os streamings.

Verificação de identidade: por que é importante ter precisão na avaliação inicial? Saiba mais.

Qual a função de uma API

qual a funcao de uma API

Conforme comentado anteriormente, a função primordial de uma API é fazer com que sistemas que possuem linguagens distintas se integrem de uma forma ágil e segura, sem a necessidade de interação de um usuário.

As APIs são cada vez mais utilizadas por negócios de tecnologia e de software, pois permitem integrar seus sistemas próprios a produtos de outras empresas. Com isso, os clientes conseguem acessar dados e informações diretamente na plataforma que preferirem.

Sendo assim, a API também tem como função facilitar e simplificar o trabalho de desenvolvedores, pois dispensa a criação de códigos personalizados para cada função que um programa for executar. Isso facilita a criação de novos aplicativos, softwares e plataformas em geral.

Além disso, a partir de APIs é possível fazer com que ferramentas e funcionalidades de determinados aplicativos sejam acessadas em outros, sem nenhuma complexidade. Um exemplo que ilustra bem esse cenário é o uso do Google Maps por outras plataformas.

É o que acontece quando sites de hotéis e restaurantes fazem uma integração com o Google Maps para que o cliente veja o melhor caminho para chegar ao destino desejado.

Esse processo só é possível por meio de uma API. Neste caso, ela foi utilizada pelos desenvolvedores do site do hotel ou restaurante, para que conseguissem inserir o código do Google Maps em algum local de sua plataforma. É a API que garante a comunicação entre esses dois sistemas online.

Vantagens das APIs

Além de possibilitar a conexão de diferentes aplicações, simplificando a vida dos usuários, a utilização de APIs engloba algumas outras vantagens importantes.

Se compararmos a outras formas de integração de sistemas, a pessoa responsável por realizar esse trabalho precisa, na maioria dos casos, instalar recursos que sejam compatíveis com a plataforma na qual se quer integrar.

Isso, no entanto, requer mais tempo e trabalho, o que acaba resultando em atraso na geração de negócios de uma empresa.

A API garante que diferentes bancos de dados, por exemplo, se integrem de uma forma muito mais fácil e ágil. Ou que um sistema ERP troque informações com outra plataforma rapidamente.

Fora a praticidade, a integração por API também envolve uma segurança de dados muito superior quando comparada a outros métodos.

Isso acontece porque as APIs são capazes de bloquear acessos e permissões a dados de softwares e hardwares que outras aplicações não conseguem.

Elas criam uma espécie de “portão”, no qual apenas um conjunto específico de informações – definido pela empresa proprietária da aplicação – estará disponível para integração.

Sendo assim, o controle de acessos é outro ponto positivo. Ao utilizar uma API, o programador pode acompanhar exatamente quem acessou as informações do seu sistema interno, quando, de onde e o que consultou.

3 exemplos de uso e aplicações de API

Em um mundo cada vez mais interconectado, a quantidade de APIs que está presente no nosso a dia a dia é imensa. No entanto, às vezes acabamos utilizando softwares e aplicações sem nos dar conta que existe uma interface de programação por trás. Vamos relembrar alguns exemplos práticos de API:

exemplos de uso e aplicacoes de API

Redes sociais

Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn, Instagram, Pinterest. Difícil imaginar alguém, nos tempos atuais, que não utilize pelo menos uma dessas aplicações, não é?

Quando entramos em algum site e encontramos os botões de compartilhamento (ícones das redes sociais) ou a opção de “Faça login com sua conta do Facebook/Gmail/etc”, isso tudo se dá por meio de APIs.

Ou quando vamos postar uma foto ou vídeo no Instagram e usamos a opção de compartilhar a mesma publicação automaticamente no Facebook. Também por API.

Ao se cadastrar no aplicativo do Uber, por exemplo, podemos fazer o registro da conta por meio do telefone celular ou também pelo botão de login com o Facebook. Como muitas pessoas já deixam a rede social logada nos seus smartphones, acabam escolhendo essa opção por ser mais prática.

Essa possibilidade de logar em diferentes aplicativos com o mesmo login e senha ocorre por meio de API e facilita a experiência do usuário na plataforma.

Pagamentos

Um exemplo bem simples que vivenciamos no dia a dia são as compras online, que só são possíveis em função de APIs desenvolvidas entre sites/e-commerces e operadoras de crédito.

Afinal, quando compramos algo pela internet, a plataforma utilizada para pagamentos – na hora que colocamos os dados do cartão de crédito – deve estar integrada à operadora do cartão. Negócios conhecidos como Buscapé, Decolar, Google Shopping só existem por conta das APIs.

Quando compramos ingressos online, de cinema ou teatro, por exemplo, o site de ingressos utiliza uma API para enviar as nossas informações bancárias a um aplicativo remoto, que verifica se os dados estão corretos.

Depois de o pagamento ser confirmado, esse aplicativo envia uma resposta ao site de ingressos, liberando a compra.

Outras empresas conhecidas, como Pagseguro, Cielo, PayPal e MercadoPago também permitem que os usuários realizem pagamentos em plataformas de e-commerce sem cadastrar os dados do cartão no site da loja.

Isso só acontece por conta das APIs dessas ferramentas, que integram informações de login e senha do usuário com as lojas virtuais.

Softwares de Marketing e Vendas

Já no universo B2B, um caso clássico de API é a integração entre softwares de marketing e vendas.

Por exemplo, em uma plataforma de automação de marketing existem dados de leads e prospects que são fundamentais para o time de vendas se inteirar sobre as oportunidades de negócio e dar início a uma possível abordagem comercial.

Nesse caso, por meio de uma API, as informações de um lead qualificado são encaminhadas do software de marketing para o sistema de CRM, para que a equipe de vendas possa utilizá-las para embasar a negociação. Neste caso, ocorre uma troca de dados para automatizar um processo que seria manual.

Outro exemplo semelhante é quando um software de CRM dispõe de um botão ao lado do número de telefone que possibilita realizar uma chamada de voz. Isso acontece devido a uma integração com uma provedora de telefonia VOIP que permite deixar a chamada gravada depois. Aqui, o objetivo principal da API é criar uma nova funcionalidade.

Neoway API: sem limites para a integração de dados

Imagem05-Neoway-API sem limites para a integração de dados

Em empresas de software, como é o caso da Neoway, APIs são criadas sobretudo para que seja possível integrar dados diretamente no sistema de preferência do cliente. É uma das formas pelas quais entregamos nossas soluções para as empresas.

Ou elas contratam nosso modelo de negócio PaaS (Platform as a Service) e utilizam nossa plataforma com as funcionalidades default ou optam por consumir a inteligência das nossas soluções de forma customizada, diretamente no sistema que quiserem.

A Neoway API permite que os dados coletados por nós se integrem a outros produtos e serviços de escolha do cliente. Todas as soluções da Neoway podem ser utilizadas via API e um caso comum é para enriquecimento de dados.

Por exemplo, um profissional que atua na área de compliance e é responsável por fazer a diligência dos fornecedores da empresa em um sistema interno próprio. Ele precisa analisar dados relacionados a listas restritivas, trabalho escravo, Pessoa Politicamente Exposta, entre outros para dar um parecer.

Por meio da API da Neoway, o profissional consegue “puxar” todas as informações necessárias para a diligência a partir de um CPF ou CNPJ (campo-chave) e, em poucos segundos, acessá-las diretamente na plataforma própria.

É como se o sistema interno da empresa estivesse consultando o banco de dados da Neoway, agregando informações relevantes para a rotina do profissional.

Conheça alguns exemplos de APIs oferecidos pela Neoway ou seus parceiros:

  • Onboarding / Validação cadastral: utilizada para validar dados de pessoa física e dados cadastrais de pessoa jurídica, busca de processos nos tribunais de justiça, listas de trabalho escravo, Pessoa Politicamente Exposta, mandados de prisão, entre outros. Saiba como implementar um onboarding digital sem erros.

  • Prevenção contra fraudes: APIs que englobam reconhecimento facial, OCR/validação de documentos com o objetivo de mitigar fraudes, documentoscopia, background check e acesso à base de mais de 300 mil fraudadores.

  • Análise e concessão de crédito: a partir do envio de informações cadastrais, é possível agregar dados da Neoway como ativos, passivos, vínculo e probabilidade empregatícia, participações societárias, bens e base processual, score de crédito, pontualidade do pagador, pendências financeiras e consulta à CPFs.

  • Ecommerce: API que verifica e valida informações em compras online com exatidão e agilidade, com objetivo de evitar perdas. Com base no CPF informado, retornamos um score confiável de probabilidade de e-mails, telefones e CEP pertencerem àquele CPF.

  • Importação/Exportação: API’s utilizadas para validação de informação referente à importações e exportações, que também permitem criar score e flags para área de compliance e modelos de propensão à lavagem de dinheiro envolvendo portos.

Sua empresa realiza background check? Entenda o que é, a importância e como fazer

Conclusão

Diante do que mostramos neste artigo, é possível perceber a importância das APIs nas nossas rotinas. Afinal, elas permitem que sistemas diferentes conversem entre si, e compartilhem serviços e informações, tudo isso de forma prática, rápida e segura.

Por meio do desenvolvimento de uma API, uma plataforma pode utilizar as funcionalidades de outra. Sendo assim, é a interface ideal para quem busca uma integração completa, com acesso claro e seguro às informações.